Guarulhos faz ato em memória às vitimas de acidente e doenças de trabalho com apoio da CNTQ

No dia 29 de abril, os trabalhadores da saúde e representantes das entidades sindicais como os químicos, metalúrgicos e condutores se reuniram na Faculdade  Eniac em Guarulhos/SP para realizar um ato em memória as vítimas de acidentes e doenças no ambiente de trabalho.

Uma data tradicionalmente lembrada pelo movimento sindical, o evento organizado pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest Guarulhos e Prefeitura Municipal de Guarulhos  com o apoio das entidades sindicais, – como Sindicato dos Químicos de Guarulhos e Região – Sindiquímicos, Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Químico – CNTQ, Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região, Sindicato dos Condutores, Centro de Vigilância Sanitária e Eniac -,  promoveu palestras sobre Política Nacional da Saúde do Trabalhador com a Dra. Maria Maeno, médica pesquisadora da Fundacentro e Sistemas de Informação de agravo de notificação com o Dr. José Carlos do Carmo, auditor-fiscal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo e médico sanitarista e do trabalho.

Ao dar início ao evento, Walquíria Kasaz, coordenadora do programa de saúde do Cerest, fez um retrospecto da data que instituída em 2003, apresenta hoje, números alarmantes e atingem os mais diversos ramos da atividade. “Em todo o mundo, anualmente, cerca de dois milhões de trabalhadores perdem suas vidas no trabalho. São três vidas perdidas a cada minuto,”, falou.

A diretora regional de Saúde I de Guarulhos, Heloisa Helena Sampaio Ferreira de Castro, reiterou que medidas precisam ser tomadas de forma a coibir os acidentes e o adoecimento em ambiente de trabalho, a exemplo da Advocacia-Geral da União (AGU) que ajuizou nesta segunda-feira, dia 29, 291 ações regressivas acidentárias em todo o País.

Segundo informações a data foi escolhida em referência ao Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, instituído no dia 28 de abril. A expectativa é que R$ 252.405.742,06 sejam ressarcidos aos cofres públicos de modo a cobrir os gastos com benefícios previdenciários concedidos por conta de acidentes de trabalho.

Carlos Derman, vice-prefeito e secretário Municipal de Saúde de Guarulhos, reiterou o importante papel do CEREST, representando a secretaria de Saúde associado às entidades sindicais, CIPAs e Vigilância Sanitária. “Temos que investir em prevenção. Infelizmente a fiscalização acontece tardiamente, ou seja, após o acidente, sem falar nas subnotificações. Infelizmente, os números de doenças e acidente de trabalho são maiores do que aparecem. Na saúde mesmo temos um grande número de afastamento, gerados, essencialmente. por estresse”, disse.

Antonio Cortez Morais, vice-presidente do Sindiquímicos, secretário de Assuntos Previdenciários da CNTQ e da Força Sindical SP e representante da Força Sindical no Conselho Nacional de Previdência Social – CNPS, ressaltou a importância da ação conjunta das entidades sindicais e Cerest no que diz aos direitos da saúde do trabalhador em postos de trabalho. “Estamos atentos quanto às questões e cuidados da integridade dos trabalhadores e seus familiares. A empresa precisa se conscientizar de que o trabalhador deve retornar aos seus lares com a integridade física assegurada”, salientou.

Palestras

Para ilustrar a palestra sobre Política Nacional da Saúde do Trabalhador, a Dra. Maria Maeno, médica pesquisadora da Fundacentro, lembrou que as doenças relacionadas ao trabalho acontecem por conta de procedimentos que exigem maior rapidez e competitividade. “Alta competitividade, pressão psicológica exigida por  maiores volumes de produção potencializam as doenças do trabalho. Os poderes precisam realizar uma política de prevenção e ações específicas na redução do número de acidentes”, disse.

“Muito foi realizado, mas muito ainda precisa ser corrigido de forma a proteger a saúde do trabalhador. Ferramentas como Nexo Técnico Epidemiológico – NTEP, Fator Acidentário de Prevenção – FAP e Normas de regulamentação podem potencializar todas estas ações, mas ainda dispomos de um sistema médico de trabalho que beneficia a empresa”, afirmou.

Na palestra, Sistemas de Informação de agravo de notificação, o Dr. José Carlos do Carmo, auditor-fiscal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo e médico sanitarista e do trabalho, reiterou a importância da notificação dos acidentes e doenças relacionadas às doenças do trabalho como forma de buscar a universalidade e integralidade do sistema de saúde. “Conhecemos a importância das notificações, os problemas, as doenças relacionadas, mas pouco  fazemos em prevenção. Todos precisam  assumir suas tarefas e juntos, trabalhar para que os problemas sejam combatidos”, encerrou.

Views All Time
Views All Time
395
Views Today
Views Today
1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Please copy the string nAeAKJ to the field below: