Novos empregos ao custo de ataques ao meio ambiente

setembro 1, 2017 No Comments »
Novos empregos ao custo de ataques ao meio ambiente

Caso a sociedade civil organizada não faça nenhum posicionamento contrário a essa violência, os filhos dos nossos filhos sentirão na pele os danosos efeitos da agressão ao meio ambiente

*Antonio Silvan Oliveira

É interessante num momento de crise ouvir a notícia de que o Brasil terá 2 milhões de novos empregos, que serão gerados pelo setor de mineração. Em uma leitura rápida, é algo bom. Mas após meditarmos a respeito do assunto, percebemos que o País vai perder em vez de ganhar.

Nesta semana a grande imprensa publicou matéria a respeito do deserto de água em que se transformou parte do Cerrado no Mato Grosso. Por causa da degradação ambiental ocorrida nos últimos 45 anos, diversos rios da região ficaram assoreados, áreas de plantação alagadas e parcela da população obrigada a sair de suas casas, literalmente expulsas pelo avanço das águas.

Silvan: “Os filhos dos nossos filhos sentirão os efeitos danosos desta degradação ambiental”

A exploração desenfreada dos recursos naturais deixou muitos rios cheios de areia, colaborando para aumento da mortandade de peixes, envenenados pelo mercúrio usado na mineração. Agora o assunto volta ao noticiário, com o governo Michel Temer anunciando que em 2018, o Brasil terá 2 milhões de novos empregos gerados por este setor, que na maioria das vezes desconhece o valor do meio ambiente.

Mais curioso nesta história é que da audiência pública realizada em Brasília, em agosto, a maioria das entidades ambientalistas da sociedade civil organizada, principalmente as secretarias existentes nas centrais sindicais, foram convidadas para discutir o assunto, tão importante para as próximas gerações. O governo repete a mesma tática empregada na reforma trabalhista, reduzindo ao máximo a participação popular.

Não podemos jamais cair no engodo de geração de emprego em péssimas condições, como se fosse a tábua de salvação. Se for por essa ótica, o crime organizado também gera emprego, mas retirando o bem mais precioso que nós temos: a nossa vida e do próximo! Assim é com o segmento de mineração, famoso pelos danos provocados por onde passa e depois deixa para trás uma região degradada e contaminada, sem qualquer serventia para produzir nada.

A mesma postura o governo Michel Temer repete na Amazônia, ao entregar parte do subsolo da floresta ali existente ao capital internacional. Na calada da noite soltou decreto-lei autorizando gigantesco crime contra o meio ambiente. Não é mais novidade de que diversos rios da bacia amazônica já estão contaminados por metais pesados, extremamente prejudiciais à vida.

Caso a sociedade civil organizada não faça nenhum posicionamento contrário a essa violência, os filhos dos nossos filhos sentirão na pele os danosos efeitos da agressão ao meio ambiente. Portanto, devemos continuar cuidando das nossas riquezas produzidas pela natureza e deste planeta. Por enquanto, a população mundial tem essa única casa como moradia neste imenso universo.

*Antonio Silvan Oliveira é presidente da CNTQ (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Químico) e do Sindiquímicos Guarulhos.

 

Views All Time

Views All Time
53
Views Today

Views Today
1